♥Asas... e uma pausa... ♥





As asas? Descobri um dia
que as tinha e não dera conta...
Senti-as como companhia
como uma ajuda sempre pronta!

Um dia com coragem
fui pelo céu azul,muito além...
Sonho? É uma miragem?
Estava só, sem ninguém!

Alguém disse-me com ousadia:
As asas são para quem acredita
Senão é então curta a estadia
Nesta aventura tão bendita...

Quando estou triste e em solidão
Abro as asas e...lá vou eu!
Bate muito o meu coração
pelo espaço sem fim do céu !

Amiga, não esqueças que na vida
ter asas é mesmo uma sorte
Assim, nunca andas perdida
segues sempre o mesmo norte!





E, pegando carona nas asas lindas da Graça,  a joaninha vai voaaaaaaaaaaaaaaaaaar e descansar um pouco, aproveitando as férias escolares... 



Joaninha e família,
vão uma pausa fazer...
Voltamos em agosto,
muitas "arteirices" vamos fazer,rs!


beijos, inté lá!
chica

♥Vovozinha Bailarina ♥




A vovó está pensando
Que ainda é uma menina
E está participando
De um show de bailarina

Se vestiu de cor-de-rosa
Uma roupinha bem rodada
Com uma fita, toda prosa...
No cabelo amarrada.

Calçou lindas sapatilhas
Cor-de-rosa, acetinadas
Dizem que é da sua filha
Ou talvez, da afilhada (rs)

Laçarote na cintura
Os óculos no seu nariz
"A vovó ninguém segura..."
- É assim que ela diz!

Saltitando que nem garça
Lá se vai a vovozinha
Os gestos cheios de graça
Pra agradar sua netinha.

Mil beijinhos vovozinha
Eu te amo pra valer
Você é minha rainha
Vais ganhar...você vai ver!



Chegou Edumanes:

Vovozinha bailarina!
com o seu nariz rebitado
muito bela apromadinha
cor de rosa, vestido rodado.

Tem pezinhos delicados,
cabelos presos com uma fita
calça sapatilhas não sapatos
cintura fina bem feitinha.

Ainda se sente menininha,
a tua vovozinha vai vencer
pelo poema parabéns Soninha
com atenção gostei de o ler!

(((o)))o(((o)))

Chegou  a Lídia Borges

Uma super-avozinha
É tudo o que posso ver
Pois isto de ser alegre
Não tem nada que saber

Ser bailarina ou princesa
Não requer idade certa
Menina ou vovozinha
É coisa que pouco interessa
Só você pode escolher
Basta que seja "esperta"

♥Valdirene, a vaca gorda... ♥




Era uma vez uma vaca muito, muito Gorda ,chamada Valdirene.
Um dia , seu pai a chamou para conversar e disse:

- Valdirene , voce está muito gorda e eu vi suas tabelas de peso no computador ,você está pesando 1.100 kg acima do que deveria.Marque um consulta com a nutricionista urgente, mais urgente mesmo.Certo??
E ela respondeu:

-Sim já vou marcar !!

Valdirene foi marcar e marcou para segunda,que  era amanhã.

Ela foi dormir e quando acordou as 6:00 da manhã para fazer ginástica ,para não parecer tão gorda .

Se arrumou e foi para consulta ,mas quando chegou lá a nutricionista olhou para Valdirene com uma cara estranha e disse:

-Venha vamos nos conhecer e se pesar né?

- Sim!
Meu nome é SuperducapucapouligismoParicia.

Bem vamos começar o tratamento.É hora da pesagem.Vamos suba na balança e de repente :
Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhuhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!

E a balança explodiu ! E a nutricionista disse:

-Isso é 1100 kg a cima do que deveria e 100% a mais de gordura e então você está pesando 1500 kg

 .Agora chispa daqui e vai comprar esses materiais de ginástica.E volte da que a um mês.

Valdirene foi comprar os equipamentos e quando chegou em casa começou a fazer ginástica e mais ginástica e mais e mais e cada vez mais até ficar esbaforida.

Os dias foram passando e passando até que o dia da consulta chegou.

Valdirene chegou lá e direto subiu na balança e viu que não tinha emagrecido nada.

A nutricionista chamou ela para fazer um raio-x porque achou que na barriga de Valdirene tinha um impedidor de emagrecer.

Quando a nutricionista viu o resultado berrou:

- Que amor!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!Você está gravida!!! E Valdirene falou:

É sério??

-Sim!Então é por isso que eu estava tão gorda?

-É!! Mas acho que seu bezerro mai nascer meio gordo nè??

-É!

De repente o bezerro nasceu e e a vaca ficou magra.

E agora é Vaca magra e bezerro gordo!!
* Gui , nosso netinho, com  9 anos

♥ Quero ser criança ♥


imagem daqui

Jairo Valio

Não sei correr, levar tombos,
Ralar os joelhos, choramingar.
Vejo lá longe matas todas floridas,
Árvores onde cantam os passarinhos.

Desajeitado, quero subir num tronco,
Vendo nos galhos frutas para colher,
Com o desejo imenso de saboreá-las,
Tendo a certeza que serão saborosas.

Não tenho forças para alcançar um galho,
E envergonhado volto para meu mundo virtual,
Onde na sua tela aparecem algumas cenas,
Algumas ingênuas, outras até violentas.

Horas vão passando e esqueço quem sou,
Absorto num mundo criado pela tecnologia,
Sem imaginar que um dia ele se modificará,
E aí quando adulto poderei recordar a infância?

Queria correr solto no chão de terra batida,
Tendo como coadjuvante uma bola de futebol,
E com muitos amiguinhos fazendo travessuras,
Correndo adoidados e soltando gargalhadas.

Conhecer quem sabe um bezerrinho mamando,
Na teta da mãe onde sai o leite generoso,
Pois na minha mente ele já vem embalado,
É só abrir a borda da caixa e misturar no café.

Queria um dia escorregar numa suave corredeira,
Do rio que me convida a mergulhar no remanso,
E depois de refrescante banho onde vou me deliciar,
Olhar no alto e ver a cachoeira caindo mansinha.

Esse mundo das brincadeiras inocentes,
Com crianças sorrindo e correndo descalças,
Parece para mim coisas bobas do passado,
Mas quem viveu jamais dele se esquecerá.